A DITADURA DA BELEZA – AUGUSTO CURY

A DITADURA DA BELEZA E A REVOLUÇÃO DAS MULHERES.

Boa Tarde, Mozões! Vamos falar de leitura? Hoje escolhi um livro que me ajudou muito na adolescência, ele é do escrito por Algusto Cury (um dos meus escritores preferidos) o livro é: A DITADURA DA BELEZA E A REVOLUÇÃO DAS MULHERES, é um romance do amor próprio.

SINOPSE:
Augusto Cury retrata neste romance o cotidiano de mulheres que sofrem caladas as conseqüências de uma cruel realidade do mundo moderno: a ditadura da beleza.
Cury dá um grito de alerta contra essa forma de opressão que vem deixando mulheres, adolescentes e até crianças tristes, frustradas e doentes. Influenciadas pela mídia e preocupadas em corresponder aos inatingíveis padrões  que são apresentados, milhares de mulheres mutilam sua auto-estima – e, muitas vezes, seus corpos – em busca da aceitação social e do desejo de se tornarem iguais às modelos que brilham nas passarelas, na TV e nas capas de revistas.
Ao tratar de um tema tão atual, este livro faz com que o leitor se identifique imediatamente com os personagens e sua luta por uma vida mais plena, em que cada pessoa se sinta livre para ser o que é, sem se envergonhar de sua aparência e sem se comparar a ninguém.
a-ditadura-da-beleza-augusto-cury-2RESUMO:
Sarah, uma jovem modelo de 16 anos resolve acabar com sua própria vida por não se encaixar nos padrões. Obcecada pela sua aparência ela se tornou agressiva, amarga e depressiva. Desesperada pela atitude da filha Elizabeth decide pedir ajuda ao psiquiatra que em pouco tempo consegue encorajar Sarah a enfrentar de frente suas fraquezas.
Elizabeth decide sair do emprego e lugar com Sarah, contra a ditadura e padrões da industria, ajudando várias jovens a se libertarem como Sarah.a-ditadura-da-beleza-augusto-cury-3PORQUE ME AJUDOU: 
Eu sempre fui muito magrela e o meu problema não era o mesmo de Sarah, ela lutava para ser magra e eu lutava por ser magra de mais.
Na escola muitos me zuavam e falavam “nossa alana, até a fulana é mais gostosa que você”, “Olívia Palito” , “Sem bunda e peito”.
Muitas vezes chorei calada sem contar para minha mãe, até que por obra do destino alguém e deu este livro. E foi com ele que aprendi que não importa o que os outros falem, você tem que se amar, você tem que ser confiante e nada irá te abalar.
Eu aprendi a ser forte e não aguentar mais calada, as piadas foram perdendo a graça e de repente eu tinha muitos amigos (principalmente meninos) e eu estava feliz, sabe porque? Porque neste momento eu me amava e amava ainda mais o meu corpo.a-ditadura-da-beleza-augusto-cury-1CONSELHO:
Seja você quem comanda a sua vida, não deixe que outras pessoas queiram escrever a sua história.

Espero que vocês tenham gostado da dica de hoje.
Beijos da Alaninha :*

Comentários

Comentários

26 comentários sobre “A DITADURA DA BELEZA – AUGUSTO CURY

  1. Larissa disse:

    Eu também sofria muito por ser magra, e sofria mais ainda por ter cabelo afro e ser negra. Sofri muito Bullying, por quase 7 anos acredita? Ninguém da minha família sabia de nada, infelizmente na época eu não tinha acesso a muitos livros e muito mesmos a internet, mas depois de um tempo eu passei a não ligar mais pra ninguém e nenhum xingamento ! Mas muitas vezes me negava ir a escola ou qualquer outro lugar, minha melhor amiga sempre teve corpão então imagina neh? Nós duas andando juntas, eu era zuada diariamente. Com certeza vou ler este livro, amei! Beeijos 🙂

    http://laryssamarquesblog.blogspot.com.br/

  2. sheilaxavier disse:

    Essas ditaduras que impõe que devemos ser “assim e assado’, infelizmente padões de beleza existem sim e são enfiados nas mídias para que nos tornemos obcecadas por eles, e este livro relata muito bem isto, muito bom, amei sua resenha, devemos nos assumir, se amar do jeitinho que é, e ponto final!! bjus e sucesso

  3. Fabrica Dos Convites disse:

    Oi Alana, este livro deveria ficar em muitas cabeceiras por aí. É triste ver como o ser humano está cada dia mais escravo de uma beleza fútil. Você disse tudo, temos que amar a nós mesmo, do jeito que somos. O belo de hoje, não é o mesmo de amanhã, e se ficarmos nesta neurose, acabamos deixando o que realmente importa de lado.
    Bjs!

  4. caroolkilljoy disse:

    Olá, tudo bem? Confesso que não sou fã do gênero autoajuda, porém algumas coisas me despertaram a atenção. Só o título por si só já nos remete a dias atuais e junto com a sua resenha meu interesse cresceu. Quem saiba futuramente eu compre? rs
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

  5. Suelen Fernandes disse:

    Olá!
    É triste você ser estereotipada. As pessoas reclamam se é gorda, se é magra, negra, branca, ruiva e muitas outras coisas. Cada um é do jeito que é, vive como pode e como quer e ninguém tem nada a ver com isso. Devemos perder essa mania de falar da vida dos outros. Muitas vidas são destruídas por esse modelo de padrão de beleza que foi criado.
    Adorei conhecer esse livro e com certeza irei ler.
    Beijinhos!

  6. Lumartinho disse:

    Olá Alana!!
    Acho essa coisa de ter que se enquadrar em um MODELO de beleza um saco!! Tipo, você lutava porque era magra demais e eu sempre estive 10KG acima do peso desde os 12 anos de idade, posso fazer o que eu quiser, ate comer só alface que não vou ficar mais magra e sempre fui zuada por isso… Demorei, mas aprendi que não preciso me enquadrar em nada.
    Acho muito importante se amar acima de tudo, mas a gente só aprende isso depois de mais velha ou com um livro incrível como este!
    Beijos

Deixe uma resposta